quinta-feira, 29 de março de 2012

DSTs e Prevenção!!!

Alunos de Enfermagem acompanhados por seu professor, fizeram uma Palestra para os alunos de 7ª e 8ª séries, sobre as DSTs e a importância do uso do preservativo como forma de Prevenção!
Já que a palavra de ordem quando se pensa em doenças sexualmente transmissíveis é PREVENÇÃO!





quinta-feira, 6 de outubro de 2011

05 DE OUTUBRO/ DIA ESTADUAL DA PAZ

A Professora Sonia trabalhou com o 4º ano I e II, no caderno CRIAR, o tema " Conviver em PAZ", o resultado dos textos foi excelente!!!!

A PAZ SÓ EXISTE COM UMA ATITUDE: QUERER
1– Respeitar a vida;
2- Rejeita a violência;
3- Redescobrir a solidariedade;
4-Ser generoso;
5-Ouvir para compreender;
6-Preservar o planeta;
7-Resgatar gestos de gentileza;
8-Cultivar o bom humor;
9-Ser comprometido
10-Divulgar a Paz.
( Paulo Henrique Fulle)

PAZ
05 de outubro, dia estadual da paz
O dia da paz é um dia especial para mim, onde todas as pessoas se respeitam, eu espero que seja assim todos dos anos, cheio de amor e paz.
Vamos confiar na Paz!
(Carolina Wagner)

PAZ
05 de outubro, dia estadual da paz
Paz é ser gentil com quem precisa, saber escutar quem já aprendeu mais com a vida e quando você está com mau humor ser calmo com quem adora você.
Aprender a conviver em Paz!
(Ohana Manerid)

PAZ
05 de outubro, dia estadual da paz
A Paz deve ser respeitada com harmonia e muito amor.
A Paz é ser feliz e conviver sem brigar.
A Paz é ter amizade.
A paz é ter bom humor.
( Suani Cristina da Rosa)

PAZ
05 de outubro, dia estadual da paz
Vocês sabem o que significa a palavra paz e respeito com as pessoas?
É ser generoso ,
Ouvir a pessoa falar já ajuda muito.
( Danieli Pereira)


segunda-feira, 1 de agosto de 2011

CONVIVER






“Ninguém educa ninguém, ninguém educa a si mesmo, os homens se educam entre si, mediatizados pelo mundo.” (Paulo Freire)

Aprender a Conviver
(do livro Alguns Versos, Talvez Poesias... Poeta - Devany A. Silva)

Sereno, ele ouvia
conselhos ao meditar
e humilde agradecia
ao silêncio que lhe vinha ensinar.

Pensou em começar
a coisas novas olhar
e em novos horizontes reparar.
Então, veio o silêncio lhe alertar:

Ao invés de novas paisagens
querer avistar
é melhor tudo reexaminar
com um novo olhar.
É assim que se deve caminhar,
aprimorando o modo de enxergar.

Pensou em com os felizes estar.
Soprou o vento a lhe ensinar:
Vá ter com os infelizes,
Conviver é mais que estar,
é viver e se doar.

Quer aprender a conviver?
Perguntou-lhe o silêncio.
Conviver é aprender.
É como você sabe responder
quando lhe vêm perguntar.

É um eterno examinar.
É não proibir, é ensinar.
É com exemplos, falar.
É procurar melhorar o olhar.

É saber ouvir mais do que escutar.
É saber quando a boca fechar.
É descobrir a hora certa de falar.
Aprender a conviver, é procurar
sempre respeitar.

É aprender que o perder
sempre vem pra ensinar.
É descobrir que é para aprender a conviver
É do passado só se lembrar,
para o presente melhorar.

É ter alguém com quem caminhar.
É, enquanto caminhar,
dos preconceitos se livrar.
Isso é o mesmo que não pré-julgar.

Aprender a conviver, é perceber o oceano
em uma gota do mar.
É o coração limpar.
É ser amigo para dar
seu ombro ao inimigo, para chorar.

É uma amizade valorizar
É ao sedento, água levar,
sem esperar por seu clamar.
É descobrir a diferença
entre o Ser e o Estar.

É ver lágrimas e enxugar.
É sempre em seu Deus encontrar
motivos pra continuar.
Aprender a conviver,
é a mão da criança levemente tocar,
mas, se precisar, firmemente segurar.

É, quando abraçar,
no abraço demorar
É transmitir carinho no olhar,
no falar e até quando calar.

É sempre encontrar tempo,
para com alguém estar.
E, quando estar,
realmente saber ficar.


Conviver é o exercício de repensar.
É aprender que só convivendo
é que se aprende e começa a amar.
E amar é tão sublime que só existe,
quando se há, no mínimo, um par.

Conviver é do simples gostar.
É o complicado respeitar.
É parar para ouvir
a quem precisa falar.
E, ao ouvir,
do aprender a conviver se lembrar...




Projeto CONVIVER

Significado de Conviver: Viver em comum, ter convivência com.


JUSTIFICATIVA:

Em toda sociedade, da mais desenvolvida à mais rudimentar, percebe-se a visão de mundo que o homem possui e sua capacidade de adaptação; a sociedade se caracteriza pela interação entre os homens e pela maneira como aprendem formal ou informalmente a se relacionar.
A violência tem sido uma característica comum presente nas relações interpessoais das pessoas que fazem parte das diferentes sociedades deste mundo globalizado. A mídia tem mostrado, regularmente, a violência, desacato e enfrentamento em todos os setores da sociedade, sem levar em conta seu nível social ou cultural.
A escola, embora seja um espaço educativo em que se pressupõe a existência de cidadania responsável e a total ausência de atos violentos e de agressões, também não está isenta desta situação.
Esta onda de violência que tem predominado na contemporaneidade mostra que é necessário trabalhar uma Educação para o CONVIVER ( viver com o outro), que fortaleça os valores de uma convivência solidária e conciliadora entre as pessoas, buscando construir uma sociedade mais humana.
Acreditando na afirmação de Nelson Mandela quando disse que a educação é a “arma” mais poderosa de que dispomos para mudar o mundo, podemos crer que a possibilidade de vivermos em mundo melhor está na maneira em como conduzimos a educação na família, na sociedade e na escola.
O objetivo ao desenvolvermos O projeto CONVIVER na Escola de Educação Básica Francisco Altamir Wagner é oferecer aos nossos educandos instrumentos que o auxiliem na sua convivência com outro, na escola e no mundo, contribuindo assim para que tenhamos um mundo melhor, com uma sociedade mais justa e pessoas preocupadas com o bem da coletividade, que saibam CONVIVER pacificamente: respeitando a vida, rejeitando a violência, descobrindo a solidariedade, aprendendo ouvir para compreender, respeitando as diferenças e convivendo adequadamente com a natureza, preservando o planeta.
Educar para a convivência pacífica, significa imbuir-se de uma consciência de valores da não-violência social. Ela busca construir a convivência pacífica, mas não é simplesmente a ausência de guerra e nem quer dizer resignação e passividade. Ela não elimina conflitos ou oposições, mas pressupõe a resolução pacífica dos mesmos, trabalhando o dissenso, respeitando as diferenças. A cultura da convivência pacífica, não aceita a violência física, sexual, étnica, psicológica, de classe, das palavras e de ações. A Assembléia Geral das Nações Unidas proclamou, em 1997, o ano de 2000 como o. Ano Internacional da Cultura de Paz. Em 1998, declarou o período de 2001 a 2010 a “Década Internacional da Cultura de Paz e Não-Violência para as Crianças do Mundo”. Com relação às nossas crianças, podemos incentivá-las, através do nosso exemplo vivenciado no nosso cotidiano e estimulando práticas de não-violência, de solidariedade, de harmonia e de comunhão, a imbuírem-se de um estilo de vida pacificador, elevando a qualidade da convivência entre todas as pessoas de diferentes culturas, credos, opiniões e raças. Para introduzir essa maneira de conviver entre as pessoas, a educação representa um instrumento valioso, pois, através dela, pode-se educar crianças, adolescentes, jovens e adultos, para formarem gerações pacifistas capazes de em suas discussões e negociações, promoverem o diálogo, a argumentação e a cooperação. Teremos então, cidadãos capazes de CONVIVER com outro, mediadores da paz e alcançaremos esse objetivo na medida em que conseguirmos injetar no nosso dia a dia os princípios, valores e atitudes de uma Cultura Pacífica, de modo que a Paz seja vista no cotidiano dos profissionais que dela fazem parte, nas suas relações de trabalho, atingindo todas as suas crianças, adolescentes, jovens e adultos, chegando à comunidade onde todos estão inseridos. É necessário vivenciarmos de fato e pra valer um novo modo de CONVIVER com as diferenças, mostrando que é possível respeitar distintas opiniões e idéias não-semelhantes, compartilhar sonhos e buscar alcançar objetivos e metas comuns, vivendo em paz.. O Relatório da UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI aponta os Quatro Pilares da Educação do Futuro que são fundamentais para se construir e estabelecer uma Cultura de Paz de forma sólida. Eles são:
1 - Aprender a conhecer.
2 - Aprender a fazer.
3 - Aprender a viver junto.
4 - Aprender a ser.
Se, antes de tudo, se aprende que o Ser vale mais que o ter, se aprende a conhecer o que não se conhece, se aprende e se aprende a viver junto uns com os outros, está feito o alicerce para conseguirmos CONVIVER de maneira pacífica.


OBJETIVOS

-Estimular professores, educandos, pais e comunidade a compartilharem e a vivenciarem, no seu dia a dia, os princípios d e uma convivência pacífica.
- Respeitar a vida.
- Rejeitar a violência.
- Redescobrir a solidariedade.
- Ser generoso.
- Ouvir para compreender.
- Preservar o planeta.
- Inserir a convivência pacífica no projeto político pedagógico,
- Inserirem o projeto nos planejamentos de ensino, abordando, sempre que possível, nas várias disciplinas e vivências.
- Estimular profissionais, educandos e comunidade a adotarem um estilo de vida pacificador,
- Construindo sociedade pacífica.
- Melhorar a saúde e o bem estar das pessoas através da cultura pacífica, banindo reações violentas como forma de resolução de conflitos.
- Desenvolver o senso de cidadania e responsabilidade social;
- Cultivar o exercício de uma moral humanitária;
- Trabalhar o respeito à diversidade;
- Exercitar a idéia de pluralidade e tolerância;
- Perceber a importância da preservação ambiental para a valorização da vida;
- Valorizar a paz e repudiar qualquer forma de violência;
- Analisar de forma crítica os valores incitados pela cultura de consumo;
-Sensibilizar-se para atitudes de solidariedade;
- Compreender a importância do diálogo;
- Compreender a importância da ética em nossas vidas;
- Respeitar a diversidade religiosa, sexual e outros;
- Compreender o papel da juventude no processo de transformação de nossa sociedade.
- Reconhecer a importância, compreender, valorizar e utilizar as regras mínimas de boa convivência.
- Vivenciar valores como: solidariedade, respeito, colaboração.
- Aprender controlar a impulsividade.
- Estabelecer relações mais equilibradas e construtivas com os colegas, comportando-se de maneira solidária, valorizando as diferenças, como fator a enriquecer o grupo.

METODOLOGIA

- Diagnóstico sobre violência nas escolas.
- Utilizar os alunos multiplicadores para atuarem como “Agentes da Convivência Pacífica” nos intervalos da escola.
- Reunião Pedagógica com os professores, tratando do tema Convivência Pacífica.
- Dinâmicas e jogos, onde os alunos tenham a oportunidade de interagir uns com os outros de forma pacífica, estimulando a amizade, cooperação e o respeito às diferenças.
- Avaliação processual: no decorrer de todo o projeto e no final.: analisando os resultados obtidos, verificando se houve uma diminuição ou alteração da violência na escola melhora nas relações humanas no trabalho.
- Exibição do filme A corrente do bem, com o objetivo de relacionar o nosso bem-estar à satisfação de contribuir com o outro.
- Encontro de formação com os pais, trazendo um profissional para trabalhar com o grupo .
- Serão debatidas algumas personalidades que contribuíram para a construção
da paz, como Gandhi, Nelson Mandela, Martin Luther King.
- Realização de registros escritos para montagem de um Portifólio, com poemas, redações, e atividades de artes.
- Trabalho com textos e ou livros diversos que sugerem temas como solidariedade, respeito aos outros, boas maneiras, cooperação, estímulo à sensibilidade e reflexão...
- Conversas informais (rodinha) para refletir sobre situações que surgem em aula ou temas abordados em textos, buscando soluções no grupo e valorizando a participação e o comprometimento de todos.
- Elaboração do Manual da Convivência com parceria de todas as partes envolvidas


AVALIAÇÃO

A Avaliação será desenvolvida no decorrer do projeto, compreendida como um processo contínuo. Observará se os objetivos propostos foram atingidos.
Os instrumentos avaliativos utilizados serão trabalhos, realização de debates, entre outros. Observação do aluno para verificar se conseguiu integrar-se no grupo, participando ativamente, trocando experiências, resolvendo situações de conflito de forma tranqüila e convivendo adequadamente conforme as regras elaboradas com o grupo e os valores trabalhados, identificando ainda se o grupo como um todo conseguiu demonstrar maior autonomia e sensibilidade para resolver os problemas com mais tolerância e amabilidade.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

VIVER A VIDA / PARCERIA COM NASF

O NASF ( Núcleo de Apoio a Saúde da Família), desenvolveu no início deste ano letivo em nossa Instituição de Ensino, um Projeto sobre Drogas.
O projeto teve apoio de Psicólogos, enfermeiros, Assistente Social, e Grupo de Alcoólicos Anônimos. Ele surgiu a partir da preocupação das pessoas da área de saúde com o alto índice de pessoas dependentes, e da necessidade de informar os adolescentes sobre as drogas e seus malefícios.
Após a intervenção do NASF, demos continuidade ao trabalho com o projeto VIVER A VIDA!



PROJETO VIVER A VIDA

JUSTIFICATIVA:
O uso de drogas é um fenômeno sociocultural complexo, o que significa dizer que sua presença em nossa sociedade não é simples. Não só existem variados tipos de drogas, mas também são diferentes os efeitos por elas produzidos e a adolescência - período marcado por mudanças e curiosidades sobre um mundo que existe além da família - representa um momento especial no qual a droga exerce forte atrativo.
O projeto surgiu da necessidade de se falar abertamente sobre as drogas, de trocar e adquirir informações sobre o assunto. É importante informar o aluno sobre os malefícios do vício. A adolescência é um momento em que a pessoa enfrenta limitações e frustrações. A droga funciona como uma fuga de tudo isso.
Faz-se necessário portanto, uma educação preventiva e a conscientização de todos: alunos, pais professores, enfim, toda a comunidade sobre os efeitos e conseqüências maléficas causadas por essas substâncias à vida humana em todos os seus aspectos físico, psíquico e social. O desafio deste projeto é a luta pela valorização da vida como um bem social a serviço da construção de uma sociedade mais digna e fraterna.

OBJETIVOS:
- Incentivar e desenvolver o gosto por uma vida saudável;
- Incentivar a auto-estima,
- A prevenção e a conscientização.
- Diagnosticar o índice de pessoas - jovens e adultos - envolvidas com drogas.
- Conhecer a situação real, as dificuldades e os recursos disponíveis.
- Sensibilizar os professores para a abordagem da questão.
- Facilitar às famílias a conversação com as crianças e com os jovens.
- Desenvolver a espontaneidade e a auto-estima dos alunos para facilitar a comunicação com os pais, não só de modo geral, mas em especial sobre a questão das drogas.
- Mobilização da opinião pública escolar, mediante campanhas de alerta.
- Tratar a difusão dos conhecimentos sobre drogas..
- Repensar sua atitude diante da questão das drogas.
- Conscientizá-los de que o fumo e a bebida alcoólica constituem drogas perigosas e o professor é sempre um exemplo para os alunos.
- Facilitar a percepção do grupo acerca de mitos e preconceitos na questão das drogas.
- Sensibilizá-los para a participação direta nas atividades de prevenção ao uso indevido de drogas.
ESTRATÉGIAS:
- Promover palestras educativas com especialistas atendendo às necessidades dos alunos e da comunidade;
-Promover ações para orientar a comunidade e a escola para o que leva a uma melhor qualidade de vida;
- Relatórios
- Confecção de murais com base nas pesquisas feitas, contendo informações sobre os diversos tipos de drogas, seus efeitos e conseqüências maléficas à vida.
- Criação e apresentação de peças teatrais.
- Cinema - Filmes que abordem o narcotráfico - O tráfico de drogas
- Promover debates, tirar as dúvidas da comunidade sobre efeito das drogas lícitas e ilícitas;
- Observar como a educação, no tocante ao uso de drogas, pode acompanhar a vida toda, pois até entre os idosos estão crescendo os problemas a ele associados, notadamente, em relação ao álcool e a certos medicamentos.
- As classes envolvidas trabalharão individualmente e em grupos para pesquisas e debates.
- Utilização intensiva do Laboratório de Informática para a execução de cartazes, murais elaboração de vídeos e pesquisas.
- Utilização de filmes, vídeos e outros recursos tecnológicos como a Internet para promover através de pesquisa, a orientação, a prevenção e a conscientização contra o uso abusivo de drogas.
- Entrevistas com pessoas da comunidade sobre possíveis soluções para o problema, registro com filmagem;
- Questionários com os pais;
- Observações da realidade da comunidade e registro através de relato;
- Conversas informais com os pais sobre a temática;
- Leitura de documentos já existentes
- Pesquisas

MATERIAIS NECESSÁRIOS:
- Filmes para máquinas fotográficas.
- Microfone.
- Videocassete.
- Tinta para impressora.
- Papel, cartolina, tesoura, fita crepe cola,
- Gravador
- Disquetes
- Data Schow

RECURSOS HUMANOS:
- Psicólogos
- Médicos
- Membros da PM e do Conselho Tutelar.
- Enfermeiros
- Familiares dos alunos
-Professores
- Alcoólicos Anônimos
- Assistente Social
- NASF
CRONOGRAMA: Primeiro Semestre de 2011
CULMINÂNCIA:
Apresentação para o NASF e para todos os alunos da escola, com teatro, músicas, confecção de murais, varal de poesia, edição de vídeos, entrevistas, depoimento de alunos e outros.
AVALIAÇÃO:
A avaliação deverá acontecer durante todo o processo de realização do projeto, através da observação dos professores. Durante o desenvolvimento dos trabalhos é importante que o professor esteja presente para interagir com o processo de trabalho dos alunos, diagnosticando diferenças e conquistas, proporcionando uma análise das etapas do projeto. Os professores deverão encorajar os participantes do projeto a dizerem "NÃO" a qualquer espécie de droga. Na conclusão final o professor deverá propor uma avaliação geral de todo o processo.
RESULTADOS ESPERADOS:
Com este projeto, esperamos que os alunos tornem-se mais conscientes sobre os malefícios causados pelo abuso de drogas à vida humana e que devem sim, buscar sempre formas de melhorar a sua qualidade de vida, agindo com responsabilidade, preservando a nossa maior fonte de felicidade e realização: a saúde.








video

terça-feira, 15 de março de 2011

Palestra: "Adolescência: Adapatações às mudanças corporais"

Alunas da sétima fase de Enfermagem da UNIDAVI, estiveram na escola e palestraram para as séries finais.
Esclareceram dúvidas sobre as mudanças corporais na adolescência, realizaram dinâmica com o objetivo de conscientizar para prevenção de DSTs.
Abriram um espaço para solucionar dúvidas, os alunos colocaram na "caixa da curiosidade" suas perguntas que foram respondidas pelas palestrantes.













quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

1º DE DEZEMBRO. "Dia Mundial de Combate a AIDS"

Os alunos Multiplicadores, junto com Maria Cristina Diretora da escola; Nair Assessora de Direção; Lucia Professora de Ciência e Biologia; Silvia Articuladora do projeto de Educação Preventiva na Escola junto com a Saúde e CTA de Rio do Sul. Estiveram durante todo o dia na Praça abordando as pessoas, colocando na roupa dos riosulenses um laço vermelho símbolo de Combate a AIDS, esclarecendo dúvidas sobre a doença e da importância de Prevení-las.

.




















terça-feira, 9 de novembro de 2010

Símbolos da luta contra a AIDS

Os Multiplicadores Foram com os alunos das séries finais até o campo Esperança e com a ajuda dos professores de Educação Física fizeram várias fotos de Símbolos da Luta contra AIDS.